Bolsonaro avalia visitar Floriano que usa cloroquina contra a Covid

0
Bolsonaro avalia visitar Floriano que usa cloroquina contra a Covid

Jair Bolsonaro tem sido estimulado por aliados a visitar Floriano (PI). A cidade tem 60 mil habitantes. O motivo: a área de saúde do município tem utilizado a cloroquina e azitromicina no tratamento de pacientes em fase inicial da Covid-19. E anuncia sucesso nos resultados. Nesta quarta, o presidente voltou a defender o uso dessa medicação.

 

A Prefeitura de Floriano tem divulgado que os resultados, até agora, são positivos.

“O protocolo tem chamado atenção da comunidade médica em todo o país, pois o que se tem observado é que o tratamento no estágio inicial da doença tem mais eficácia do que em casos mais graves”, diz nota divulgada ontem no site da Prefeitura.

O prefeito Joel Rodrigues (PP), aliado do governador Wellington Dias, do PT,  contou ao Radar que a iniciativa partiu de uma experiência com uma médica da cidade, Marina Bucar, radicada na Espanha, país atingido fortemente pela doença. Lá, a profissional já atuou no tratamento de 600 pessoas, segundo o prefeito, e fez uma parceria com a Secretaria de Saúde da cidade e com o Hospital Regional Tibério Nunes.

O protocolo utilizado é o uso cloroquina com a azitromicina na fase inicial da doença ou na suspeita da infecção do vírus a partir do quadro clínico e exames de sangue, radiografias e eletrocardiograma.

A Secretaria de Saúde de Floriano adquiriu trezentos kits dessa medicação.

O diretor técnico do hospital, Justino Moreira, diz que o tratamento na fase inicial é de fundamental importância. Os casos registrados ainda são poucos, mas animador segunda as autoridades locais.CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

“Ainda é um número pequeno, mas animador. Considero um divisor de águas que se não puder ser incorporado aos protocolos oficiais nesse momento deveriam estar disponíveis na rede hospital do estado para que os médicos exerçam sua autonomia com o consentimento dos pacientes”, disse Justino Moreira.

Numa fase 2, num estado mais crítico da doença, o hospital tem utilizado a pulsoterapia com corticoide, para estancar a infecção no pulmão e evitar que o paciente vá para a UTI e seja entubado.

Bolsonaro não decidiu se irá. Por outro lado, alguns assessores alertam que o momento político requer cuidados a exposições públicas, tanto para evitar aglomerações e até mesmo risco de entrar num “campo inimigo”.

O prefeito afirmou que, até agora, não foi acionado pelo Palácio do Planalto sobre interesse do presidente em visitar Floriano. Mas diz que as portas estão abertas.

“Vamos recebê-lo com maior prazer. Será um privilégio para nós” – disse Rodrigues.

Fonte: Revista Veja

Deixe uma resposta