Comandante do Corpo de Bombeiros de Picos faz alerta sobre festividades juninas

0

O mês de junho chegou e, com ele, o início das festas juninas. Em todo o país, as comemorações são diversas: em escolas, campos de futebol, praças públicas e, para manter a tradição nordestina, no terreiro das casas.

Em Picos, cidade do interior do Piauí, estado nordestino, não é diferente. Especialmente nos dias de São Pedro e São João, onde as pessoas se reúnem, armam suas fogueiras e, em quase todos os casos, utilizam de fogos de artifício e outros elementos que utilizam a pólvora como material principal de sua fabricação.

O comandante do Corpo de Bombeiros de Picos, Tenente Hamilton Lemos, faz um alerta quanto ao modo em que essas festas são realizadas e os cuidados que os foliões devem ter para que transtornos maiores sejam evitados.

Tenente Hamilton Lemos / Imagem: Jesika Mayara

“É preciso que se haja prevenção em relação aos fogos de artifícios. Primeiramente, aos pais devem evitar que seus filhos comprem, pois é crime. As pessoas que forem comprar, devem observar o tamanho do pavio, se está correto, se está lacrado e se possui o selo do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia – Inmetro. Em relação aos dados de queimaduras do ano passado, a maior parte foi nessa época junina. Então a gente deve ter o maior cuidado”, disse ele.

O comandante dos Bombeiros indicou ainda que pessoas com cabelo grande mantenha-o preso, pois a probabilidade de causar um incidente é grande. Ele alerta para os rojões e locais em que são utilizados.

“As mulheres ou pessoas com cabelo grande possuem uma probabilidade grande em acontecer algum acidente, principalmente com esses fogos que a pessoa gira e solta faísca. Há muitas ocorrências em relação a isso. Se forem soltar, que amarre o cabelo, que o proteja. Os rojões, as explosões feitas para o alto têm que ter uma atenção maior. Se é perto de hospitais, se na redondeza moram idosos, os fios de alta tensão, enfim… Tudo isso tem que ser verificado. Esses fogos apontados para a vegetação, ao cair, podem provocar incêndios. Então pedimos encarecidamente, que todos mantenham cuidado nesse período”, apelou.

Incêndios em lixões
Um problema recorrente são as queimadas de lixos. Segundo o comandante, as pessoas, sem responsabilidade alguma, ateiam fogo em montes de lixos, o que tem prejudicado a saúde de muitos idosos e crianças.

“Tivemos algumas ocorrências de incêndio, mais específicas em lixões. As pessoas estão tocando fogo e isso perde o controle e a gente sempre bate na tecla dos problemas que isso traz, principalmente os respiratórios, tanto para a pessoa que pôs quanto para a vizinhança. As mais afetadas têm sido as crianças e idosos. São elas quem mais sofrem com esses incêndios provocados deliberadamente”, afirmou.

Tenente Hamilton afirmou ainda que o Plano de Emergência para o período de estiagem já está pronto e em breve será apresentado às autoridades da cidade.

FONTE: Cidades na Net

Deixe uma resposta